145 cidades em situação de emergência. Desabamentos, deslizamentos, 33 pessoas resgatadas. Depois de uma calamidade na Bahia, as chuvas de verão não dão trégua e deixam Minas Gerais embaixo d’água. 

Esse tipo de chuva, típico da estação, só é intensificado pelo fenômeno La Niña. A Zona de Convergência do Atlântico Sul prende a umidade sem permitir que se dissipe. Dessa forma, o acúmulo se apresenta em inundações, chuvas fortes, deslizamentos e alagamentos. Segundo o Inmet, entre os dias 8 e 10 choveu quase 250mm – a média histórica para o mês é de 329mm.

A tendência é que essas chuvas diminuam com o passar dos dias. Porém, nos próximos meses, esse fenômeno pode acontecer novamente nas regiões sul, sudeste e centro-oeste. Por ser um ano de La Niña, há um esfriamento das águas do oceano que acarreta em chuvas no Brasil.