As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) são usinas hidrelétricas de tamanho reduzido e potência menor que as usinas tradicionais. Obrigatoriamente, esses empreendimentos precisam ter entre 5 e 50 megawatts (MW) de potência e precisam ter menos de 13 km² de área de reservatório.

Atualmente as PCHs e as CGHs são responsáveis por 3,5% da capacidade instalada do sistema interligado brasileiro. A história desses empreendimentos começa em 1997, e de lá para cá foram investidos mais de R$ 1 bilhão em projetos de licenciamento ambiental para a construção de usinas. 

 As PCHs e as CGHs causam baixo impacto ambiental e são importantes para o meio ambiente. Elas protegem as margens dos rios contra erosão e fazem o uso múltiplo das águas para irrigação, lazer e abastecimento de municípios. 

No Brasil

PCHs e CGHs somam total de potência em operação de 6.178.706,16 kW outorgadas. As PCHs já estão em quinto lugar no ranking de fontes de energia do país em termos de potência instalada com aproximadamente 7.138.988,54 kW gerados. Já as CGHs, figuram em sétimo com 822.877,67 kW gerados.

Atualmente existem 425 PCHs e 704 CGHs em operação no Brasil que, juntas, somam 5.990.710 kW de potência outorgada.

Minas Gerais é o estado com mais empreendimentos, sendo eles divididos em 72 PCHs e 163 CGHs.

Fonte: abrapch