A Agência Nacional de Energia Elétrica anunciou uma nova bandeira tarifária na conta de luz. Chamada de bandeira da escassez hídrica, essa nova modalidade cobrará taxa extra de  R$14,20 para cada 100 kilowatt-hora (KWh) consumidos. A medida, que entrou em vigor em primeiro de setembro, permanecerá vigente até abril de 2022. 

A decisão foi tomada por conta da crise hídrica que assola o país desde o ano passado. De acordo com o Governo Federal essa é a pior seca dos últimos 91 anos. Este cenário obriga as termelétricas a entrarem em ação, essas usinas possuem alto custo de produção, que são refletidos na conta do consumidor.  

A justificativa da Aneel para o novo aumento é de que mesmo a bandeira vermelha de patamar 2 não estava suprindo as necessidades extras de arrecadação exigidas pelo uso das termelétricas. 

O déficit na conta está na casa dos R $5,2 bilhões. Ainda existe a possibilidade do Brasil precisar comprar energia de países vizinhos, o que geraria um custo de R$ 8,6 bilhões.

Quem será afetado pela nova bandeira? 

Os moradores de todos os estados brasileiros adeptos do mercado cativo, com exceção do estado de Roraima que não está interligado ao Sistema Interligado Nacional e das cerca de 12 milhões de famílias inscritas no programa Tarifa Social de Energia Elétrica.

Fonte: Agência Brasil