O mercado livre de energia dá ao consumidor mais liberdade e independência na compra e negociação de energia. Pensando nisso, um projeto da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) em parceria com a Aneel prevê abrir o mercado livre para consumidores pequenos com conta inferior a R $110 mil por mês.

Inicialmente a apresentação do projeto estava prevista apenas para 2022, mas a crise hídrica que assola o Brasil fez com que as entidades adiantassem o processo. 

Nos últimos anos, o mercado livre de energia apresentou preços entre 20% e 30% menores em relação ao mercado convencional. Além disso, os compradores podem escolher a quantidade, a fonte e negociar o preço da energia diretamente com o gerador. 

Se aprovado, o projeto poderá ajudar a aumentar o número de consumidores desta modalidade de 22 mil para cinco milhões em um primeiro momento. 

Cenário atual

Até o momento apenas consumidores que registram consumo de 500 kW médios (cerca de R $110 mil por mês) podem adentrar o mercado livre no Brasil. 

Países como os EUA e Portugal já permitem a entrada de consumidores domésticos no mercado livre de energia.