Em 1969, o engenheiro João Augusto Amaral Gurgel inaugurou uma fabricante de carros 100% nacional, a Gurgel. Crítico dos modelos movidos a álcool, o empresário foi responsável pelo desenvolvimento do primeiro carro elétrico brasileiro. 

O Itaipu E150 foi o primeiro modelo elétrico nacional da América Latina. Seu primeiro protótipo foi apresentado no Salão do Automóvel de 1974, sendo lançado oficialmente no ano seguinte.

O modelo pesava 460 kg, sendo 320 kg apenas das baterias de 3,2 kW que entregavam o equivalente a 4,2 cv. O pequenino modelo de 2,65 m de comprimento e 1,40 m de largura tinha capacidade para dois passageiros. Muito de seu peso era por conta das treze baterias, dispostas no assoalho, atrás dos bancos e na parte da frente do veículo.

O carro tinha baixa autonomia de apenas 50km e necessitava de 10h de carga. Além disso,  a velocidade máxima dos primeiros modelos era de só 30 km/h. As últimas versões conseguiam alcançar os 60 km/h.

A baixa autonomia somada ao grande tempo de recarga fizeram com que o Itaipu E150 sofresse no mercado. O carro que hoje em dia custaria o equivalente a R$60 mil nunca saiu da fase de protótipo e vendeu apenas 27 unidades.

O Itaipu E150 é fruto de um pensamento visionário que ainda produziu outros modelos como o E400, um furgão elétrico que compôs a frota de empresas brasileiras de eletricidade. Ambos os modelos viraram itens de colecionador.