A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (29) que a bandeira tarifária de fevereiro seguirá amarela – o que representa uma taxa extra de R$ 1,343 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

A cobrança também vigorou no mês de janeiro. Em dezembro, a Aneel chegou a aplicar a bandeira vermelha 2, a maior do sistema (entenda abaixo).

Segundo a Aneel, fevereiro é um mês típico do período de chuvas nas regiões das principais usinas hidrelétricas, mas os principais reservatórios do sistema “vêm apresentando recuperação lenta de níveis em função do volume de chuvas abaixo do padrão histórico para esse período do ano”.

O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo de geração de energia. Com os reservatórios baixos, a perspectiva é de alta no custo da energia já que exige o acionamento de mais térmicas, que geram energia mais cara.

O objetivo é informar aos consumidores quando esse custo aumenta, e permitir que eles reduzam o uso para evitar pagar uma conta de luz mais cara.

Entenda as bandeiras tarifárias

  • Verde: condições favoráveis de geração de energia, sem cobrança adicional.
  • Amarela: Condições menos favoráveis.

R$ 1,34 por 100 kWh consumidos

  • Vermelha: Custo de energia mais caro, térmicas ligadas.

Dois patamares: um de R$ 4,16 e outro de R$ 6,24 para cada 100 kWh

Fonte: G1